segunda-feira, 19 de março de 2007

VÉUS, PINTURAS E FANTASMAS

"...esse véu pintado a que os que vivem chamam Vida"... (O Véu Pintado, livro, Somerset Maugham)

Ás vezes, esse véu rasga-se.............

Irremediavelmente...........

Crónicas,
histórias,

letras impiedosas e frias
em páginas, outrora brancas e lisas......

que descrevem, desnudam, expõem a nossa vida....

Por vezes, remenda-se
o véu com pontos mais densos, mais apertados...
Esquece-se, encobre-se memórias infelizes, inúteis, indesejáveis...
Outras,

na escuridão como fantasmas,

esses remendos estão sempre presente............

E esse véu pintado..............

se a nossa vida representa, efectivamente

está sempre roto

e manchado....



5 comentários:

Farinho disse...

Como eu entendo, as marcas ficam cá, marcadas para sempre, por mais que tentemos esquecer, elas teimam em sangrar.

Beijocas

Alexandre disse...

Nunca ninguém tinha pensado que a vida está coberta com um véu, mais denso para uns, menos para outros... e quantos véus de vida estão rotos, manchados, rasgados... prova que o seu ritual de vida foi (é) mais ou menos duro, pesado.

Um post quase arrepiante mas muito bem conseguido, Marta. Parabéns!!!!

O maior beijinho!!!

Thunder disse...

Pois, como tu dizes "remenda-se"... e os remendos tapam os buracos, mas de uma forma frágil! É como as feridas...estão tratadas fisicamente, mas nós sabemos que elas estiveram lá!
bJS.gostei deste teu desabafo.

Peter disse...

"...esse véu pintado a que os que vivem chamam Vida"... (O Véu Pintado, livro, Somerset Maugham)

Houve um tempo em que me dediquei à leitura de Somerset Maugham. Até vi uma peça denominada "Chuva", baseada num texto dele. Mas não conhecia a frase que citas.

Interessante.

MARIA VALADAS disse...

Por mais que façamos...os remendos
ficam sempre visíveis. Por mais que disfarçamos...fica sempre a olho nu!

Tal como as nossas vivências... não há espaço para a mentira...mesmo que seja dita...o véu que nos envolve...descobre-a!

Muito apropriado este text!!

Parabens Marta!

Beijinhos da

Maria