terça-feira, 20 de março de 2007

ESQUECIDAS


Não é contra o peito que,
as mãos uno..........

Faço uma concha, como se quisesse beber água da fonte...

Molhar novamente, lançar água no rosto.........

Depois, sacudir as mãos...

Ver como mil gotas de água,

em mil raios diferentes se espalham

num breve brilho de frescura.....

Estou presente, observo, mas não interfiro...

O mundo............

Para mim, não existe........neste momento...........

Tudo o que existe....

as mãos, por vezes esquecidas... hoje em concha....
e com tantas histórias para contar........

8 comentários:

Constatinne Correia disse...

No duche, de manhã, junto as mãos uma à outra para criar uma concha onde a água ... e muitas coisas por fazer sorrateiramente esquecidas.
Gostei!
Beijinhos.
Constantinne.

Alexandre disse...

As mãos têm sempre histórias para contar... são os gestos que dizem muitas vezes mais que as palavras ou os sorrisos... são os gestos de água que lembram que as mãos têm que estar em concha para que a água não se esvaia por entre os dedos...

Beijinhos!!!

rosa maria disse...

Na concha das nossas mãos encerramos um mundo tão só do nosso sonho...!
Fica um beijo

Farinho disse...

E é nas nossas mãos que vive a verdadeira essencia da nossa felicidade.


Beijocas

Pierrot disse...

...e dessa forma, tendo em conta o que escreveste, quando olhas para as mãos, olhas para o mundo, e tal como nelas, vês o que elas podem mudar, o que depende apenas delas, bem como aquilo que lhes escapa e que por isso não podes mudar...

Foi assim que eu vi a coisa
Bjos daqui
Eugénio

Entre linhas disse...

È através das nossas mãos que desenhamos a forma como olhamos o mundo,através dela agarrámos a nossa verdadeira felicidade.

Beijinhos Zita

C_BRITTO disse...

Descobrimos que temos nas mãos um meio de narração que, ao mesmo tempo, é uma maneira de contar nossas histórias.
São apenas toques baixos e um rastro de ligeira aventura!

Lindo Marta!!!
Beijos no teu coração!

Moura ao Luar disse...

A poesia é sempre um elixir para a alma