domingo, 28 de outubro de 2007

O SOSSEGO

Iluminas a minha noite…
Roubas o meu sossego…
E se falas do meu coração………….
…há muito que à tentação cedeu….
E suspira todas as vezes...
.............que em ti pensa…………………
Ah…nem sei o que digo….
Só sei que……………
………….de repente……….
o sossego...
esse sossego....
.........
que controlava os meus dias…
………………e nas minhas noites reinava……………….
……………………deixou de existir………….

P.S.: Imagem tirada da Net


7 comentários:

Alexandre disse...

Acho que procuramos sempre o desassossego, já dizia Fernando Pessoa! O ser humano é um ser que procura o risco... que suspira... que controla, no fundo, que desassossega...

Muitos beijinhos!!!

Pekenina disse...

Como conheço bem esse desassossego... por vezes inquieta, outras vezes faz-nos tão felizes...que o teu seja o 2º =)
Beijinho da,
Pekenina*

C. disse...

Marta,

Eu sempre soube que não haveria regras para o desassossegos.

Desculpa Marta a minha ausência!!!


Prometo não te deixar a (partir) de agora.

(A)braços :)

Sol da meia noite disse...

Desassossego que ilumina a noite...
É bem melhor que aquele sossego que nada diz...

Beijinhos!

Naeno disse...

Não me mostra os lugares ode doem em mim, uma saudade, uma vontade de me despejar no Tejo, de cantar como o Poeta, com as calças molhadas até às coxas.
Olhando o tejo
Eu vejo mais meu Portugal
E não me ocorre
Nesse momento, nenhum mal.
O bem maior
São as lembranças
Que com ele passam
E delas lembro
Com um sabor
Da uva passa.

O que é ser rio e não correr
O qaue é ser ága e não poder
Matar a sede de quem passa
Tão fatigado.

Me leva para portugal. Eu sou o último arrimo, preso às encostas brasileiras.

Um beijo
Naeno

Maria Clarinda disse...

Lindooooooo! Jinhos

Secreta disse...

O sossego por vezes vai-se , por uma boa causa:)
Beijito.