domingo, 25 de fevereiro de 2007

VIAGEM

Vontade louca de te acariciar a nuca……………

Esquivas-te ……………já nem te pergunto porquê…………

Deixas que,

no teu pescoço os meus braços se enrolem………….

contra mim te sinta…………..

Nada mais…………………………….

Suave, delicadamente, os meus braços tiras, afastas o corpo…

A alma, o desejo e partes…………..

Numa viagem só tua……………

Querida; neste jogo de emoção,
Não quero ser vencido ou vencedor,
Desculpe se tu tens a sensação
De que distante estou, do nosso amor...

Às vezes egoísta, às vezes não
O certo é que te tenho sem temor,
Numa explosão divina da paixão
Eu quero ser de ti, merecedor...

Muitas vezes, sozinho, a noite fria,
Olhando enamorado para ti,
Qual tolo, meu amor, não percebia

Que, aos poucos te afastava sem saber...
Em todos os meus erros, me perdi.

Me dê de novo a chance de viver!
CO - AUTOR MARCOS LOURES

8 comentários:

Menina do Rio disse...

Não há dor mais profunda que a dor amor que se esquiva deixando-nos com as mãos estendidas no vácuo...

Beijinhos

Pierrot disse...

Este jogo de um poema dois autores resulta sempre ou quase sempre bem conseguido.
Uma espécie de yeng e yang, uma dicotomia pensante que se une em palavras, num poema.
E desta feita não foi excepção
Parabéns a ambos
Bjos pra ti
Eugénio

Entre linhas... disse...

Estes dois poemas são duas dicotomias em perfeita sintonia.

So devemos nos lembrar do passado,do que teve de positivo,porque águas pasadas não movem moinhos...

Beijinhos Zita

Carmem L Vilanova disse...

Um post absolutamente apaixonado e cheio de amor e ternura, querida amiga...
Lindo!
Belo!
Precioso!
Muitos beijos, flores e sorrisos para ti... sempre!

PS: Carmencita já está melhor de saúde, graças a Deus! :o)

Peter disse...

Boa viagem...

* White Roses Princess* disse...

o amor e o desejo sao viagens sensuais lindissimas k percorremos...


lindo... =)

**********************


*White Roses Princess*

Alex disse...

Curioso este jogo de palavras e de emoções. Por momentos senti que estava lendo uma espécie de desgarrada, mas uma desgarrada e sensações, delicada, e não uma desgarrada de rimas como nós as conhecemos.

E responder a um poema da Marta com um soneto lindo e muito bem construido, acho que deve ser inédito na literatura portuguesa...

Parabéns pelo requinte e pelo bom gosto.
Beijinhos à Marta e um abraço ao Marcos Loures.

Teresa David disse...

é fantástico como esta parceria funciona bem, engrandecendo de parte a parte o talento de cada um.
Gostei muito.
Bjs
TD