quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

INTENSA

Beijas-me...
Com a cumplicidade da brisa...

A luz do dia espreita...............


A angústia,
enroscada como uma serpente no nosso corpo,
impedindo-nos de respirar,
provocando o pânico,
dissipa-se....


Em golfadas, liberta-se o ar....
Apenas o cansaço prevalece.......
Esse cansaço provocado por uma luta desigual....
Entre a razão mental e a sentimental...........
Mas, repudiar as saudades..............a intensidade sentida e vivida...........
Nunca!!!!

5 comentários:

MARIA VALADAS disse...

Não quero ser repetitiva...mas escreves muito bem...sentes aquilo que pincelas com as palaavras!

A tua última frase deixou-me emocionada...

Com grande prazer..voltarei aqui para me deliciar com os teus poema!

Beijinhos da
Maria

Alexandre disse...

A luta entre a razão mental e a sentimental... a luta que nunca mais acaba, uma «guerra» que nunca conseguimos terminar... como seria bom dissipar o cansaço e separar o mental e o sentimental...

Beijinhos!!!!

DE PROPOSITO disse...

Que dizer, o voto é secreto. Mas escrevo numa folha, dobro-a em quatro e entrego-te. Ficarás a saber a resposta à questão com que inicias o texto.
E mais não digo. Ou digo,...
beijinhos.
Manuel

AEnima disse...

ai que ainda nao consegui tempo para ir aos correios!!!!

o alquimista disse...

Repudiar a saudade é arrancar as páginas do teu mais belo livro...

E a lenda acontece. Em cada noite na Baía do Silêncio queda-se o céu na noite sombria, solta-se o sonho a fantasia...
Luminoso domingo...

Doce e terno beijo