quinta-feira, 2 de junho de 2005

MORAL

Lá volto eu ao princípio, pois desta vez quem está no centro dos rumores sou eu.
A primeira pergunta que faço e sei que a estou a repetir é:
Será que esta gente não tem uma vida própria, não tem problemas pessoais que exijam a sua atenção por completo para estarem a vasculhar a dos outros?
Ao escrever isto, fico com a impressão de que estou a ser má, mas a questão não é essa e isso leva-me a fazer a segunda pergunta:
Qual é o problema se o rumor tiver fundamento?
Não estamos a ferir ninguém – não há terceiras pessoas envolvidas! – nem sequer a infringir as regras de moralidade.
Que é, pelos vistos, um tema polémico!
Porque não é um atentado à moral em dizer mal das pessoas nas costas, mas ter uma relação mais profunda com um homem é!
Eu avisei – estou a ser má, mas apenas estou a escrever o que sinto!
E o que sinto é raiva misturada com ódio, desprezo, mas ao mesmo tempo, pena!
Porque, mesmo que o rumor tivesse fundamento, eu estaria muito feliz, porque a pessoa em questão, apesar dos defeitos que possa ter, é honesta, nunca me faltou ao respeito, como quem começou estes rumores está a fazer.
A minha terceira pergunta é:
O que é a moralidade? O que é que se entende por moralidade?

2 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Um conselho amigo? Nao intoxiques teu fígado por culpa dos outros... :) Este conselho vale, amiga! Se os outros falam, deixe que falem, fazendo ou nao fazendo algo, isso sempre acontece, porque tem gente que simplesemnte, nao tem mesmo o que fazer na vida... sê tu mesma e pronto! :)
Muitos beijinhos!

Dora disse...

Concordo com a Carmen. Essa mesquinhez não deve incomodar-te mais que o estritamente "necessário". Um beijinho e aproveita bem o fim de semana :-)