quarta-feira, 8 de outubro de 2008

SONHOS ESTRANHOS




sonhos estranhos...
Que, como tinta….
Deslizam por entre a tempestade…


Esta noite…….
Libertam fantasmas e medos….



Não me deixes só....
Neste mundo confuso….



Nem troces do medo que sinto….
sonhos que não gosto de sonhar……………




(Foto "Ciclo", Lilian Martins, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC)

7 comentários:

Nuno de Sousa disse...

Sem medos é preciso sonhar...
por isso sonha sem medos,
porque sonhar é bom :-)
Bjs grandes amiga,
Nuno

Paulo Sempre disse...

"Há sonhos estranhos...
Que, como tinta….
Deslizam por entre a tempestade…"


Porém, são sonhos. Isso mesmo!: sonhos

Só Eu disse...

Há sonhos estranhos...Claro que os há. São sonhos e não podemos nunca deixar de sonhar.
Poema muito forte e muito bonito.
Beijinhos

Alexandre disse...

Sonhos que não se gosta de sonhar mas que nos assolam quando menos os queremos... os sonhos são mesmo assim... indiscretos...

Muitos beijinhos!!!

Sol da meia noite disse...

Sonhar é estranho...

Beijinho *
:-)

Nilson Barcelli disse...

Há sonhos mais ou menos estragados pelos medos que eles suscitam.
Será importante, penso eu, avaliar as causas desses medos. Na maioria dos casos serão infundados...
Gostei muito, este teu poema dá pano para mangas... um serão inteiro a falar no assunto não chegaria...
Beijinhos.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Sei muito bem o que são esses sonhos, amiga, sei muito bem. Mas reitero a presença da natureza, principalmente da tempestade, nos seus poemas. Acabei de postar, venha visitar-me.
Beijos,
Renata