domingo, 17 de junho de 2007

Á BEIRA -MAR





Ah, amar-te….
À beira - mar…
Afundar o corpo na areia…
Deixar que por entre os dedos…


ela se escape.....
Se confunda com nossa pele…
Marque o tempo que temos para nós…
Nos avise quando a maré enche…
Não….deixa que o mar se insinue…
Sente o prazer…


Sente como a água do mar escorrega pelos


nossos corpos....


e na pele descreve os nossos desejos.........


P.S.: Imagem tirada da NET
P.S.: Parece que a GOOGLE quer desactivar-me a conta. Estou a tentar descobrir o que se passa; se me desactivarem efectivamente a conta, terei que reactivar o meu blog na Sapo. Espero bem que não, mas eu aviso para que me continuem a visitar.

7 comentários:

Alexandre disse...

A areia e o mar que se insinuam, que se misturam e se enleiam como dois corpos nus e duas almas sedentas de sensações e de desejos por entre os dedos numa cumplicidade anónima com o tempo...

Thunder disse...

Era bom, era!
Boa semana.

elsa nyny disse...

mais um excelente poema!!!


Bj

125_azul disse...

O meu ninho está mais vazio e um triste, daí não te vir ler há algum tempo. Mas o bom que é chegar aqui e "ver-te" feliz...
Beijinhos, boa semana

Noite disse...

O mar tem a envolvencia de um abraço, o complemento que aporta ao nosso corpo o que nos falta.

Reflexos da Alma disse...

Olá minha Querida Marta !

"Amar-te à beira Mar ..."

Gostei muito deste teu Poema, mais uma vez senti a tua poesia como quem se senta à Beira-mar ...
Contemplação ...pura ...

Um Beijo Grande e votos de uma Boa Semana ...

P.S. É claro que te continuarei a visitar ... caso isso aconteça ... mas avisa-me , ok? Beijos !

Rosa Maria disse...

Amor,mar... enlace inebriante...
Fica um beijo