sábado, 1 de setembro de 2007

PEGADAS








Desnudo-me…

A alma, o coração, o corpo....

Na vã esperança que me vejas…mas só a lua me enfeitiça o corpo…

esse corpo que tanto amaste e agora ignoras…

Sigo as tuas pegadas para além da lua, para além da praia…

atravesso essas densas dunas…

Encontrar quem não quer ser encontrado…

perda de tempo, perda de esperança..

Sinto uma ligeira pressão no pulso…

um raio prateado enrodilhado…uma pulseira reluzente..

E depois…………

Estou na luz…
viro-me para a luz…
e a lua transforma-me………….

Numa silhueta…num hino.......









P.S.: Imagem tirada da Net

6 comentários:

©õllyß®y disse...

É bom desnudar o corpo, tambem a Alma...e que a triateza dê lugar à esperança...

Doce momento, num

tambem doce beijo...

.:mÁrCiO:. disse...

A esperança num regressar que não acontecerá, pode não ser positivo...
... mas a esperança em encontrar o Alguém em quem poder se entregar, somente o corpo faz percorrer mundos!
Um pequeno sinal poderá ser a luz que faltara para ir ter ao alcance de quem não quer ser encontrado...
... transformando-nos em algo sobrenatural!

Alexandre disse...

Desnudar a alma é o acto supremo, o mais sublime! Nem todos - ou melhor, quase ninguém - consegue desnudar a alma ou o coração: desnudar o corpo é fácil, mas a alma... aí sim como seria bom que tivéssemos à vontade para o fazer...

Espero que estejas sempre na LUZ.

Muitos beijinhos!!!

Menina do Rio disse...

Há sempre a esperança de um momento, uma lua, encontrar...

beijos

belakbrilha disse...

Será que se consegue desnudar a alma?

Completamente?

Como seria bom!...mas...

fica a dúvida!

bjs

PEDRO disse...

Querida Marta! Por teres uma alma assim, é que tens uma poesia assim.

Desculpa-me a ausência.
BJS