segunda-feira, 17 de setembro de 2007

FALAR HOJE






Falo sempre de hoje…
E sempre de ti…
Do vento, do mar e dos pecados….
Como se eu….
………………pecados tivesse…
O meu maior pecado….
É não saber…
Se de mim falas….
O que sobre mim dizes…
Se sou ou não importante para ti…
Deixar que essa dúvida me entristeça…….
Quando devia rir……………………




P.S.: Imagem tirada da Net

9 comentários:

Paula Raposo disse...

Certas dúvidas entristecem-nos muito. Eu prefiro certezas, mas certezas não as temos...muitos beijos.

125_azul disse...

Se é assim forte para ti, é impossível que não chegue também com força ao outro lado.
Beijinhos, semana feliz

Alexandre disse...

Rir ou não rir, são nouances que fazem parte das nossas dúvidas. Será que pecamos quando rimos ou será que devíamos rir mesmo quando pecamos? Fica a incógnita de não sabermos o que os outros de nós falam, se será motivo para rir ou para ficarmos tristes...

Muitos beijinhos!!!

Teresa David disse...

Também por vezes é possível chorar a rir quando se faz da vida uma festa de acontecimentos coloridos.
Obrigada pelos desejos de boa viagem e tudo de bom para ti.
Bjs
TD

Sol da meia noite disse...

A dúvidas fazem parte da nossa existência...
E entristecem-nos... quando devíamos rir.

Gostei do post, Marta!

Beijinho!

Maria Clarinda disse...

Voltei ...ainda não a 100% mas aqui estou. Li os teus posts, estão lindos todos os teus poemas.
Adorei.
Jinhos

Sleeping_Angel.69@Hotmail.com disse...

Tempo.
O Momento.
A Vida.
Três palavras de simples entendimento
para alguns, e muito complexamente
interpretada pelos outros.
Posso classificar-me, no grupo
"outros".

O Tempo passa corrido. Quando menos
esperamos, algo que parecia estar
tão distante e tão confuso, tornam-se,
repentinamente,
muito próximo, muito exclarecido.
Eu não entendo o Tempo.
O Momento é o agora. O presente.
Uma coisa instantanea que se revela
naturalmente ao abrir de nossos olhos;
no ar que respiramos. Esse, tem de
ser bem aproveitado e curtido.
Afinal, não sabemos o que seremos amanhã.
Eu não entendo o Momento.
A Vida. O que posso conceituar sobre a vida...
Emoções. Paixões. Sofrimentos. Alegrias.
Lágrimas. Perdão. Saudades. Amor.
Essa, é uma graça que recebemos,
e cabe a nós construí-la e
realmente vivê-la intesamente, como
se fosse o último Tempo,
o último Momento.
Eu não entendo a Vida.
Definitivamente,
eu não me entendo

Rosa Maria disse...

pois se deverias rir ou não...não sei...
De qualquer modo, o teu maior pecado seria apenas, não sentir...
Fica um beijo

Ant disse...

Pecado é esconder o desejo,
deixá-lo esfriar,
apagar o beijo
que tanto se quer dar...

olha rimou...

Bjo