sexta-feira, 25 de novembro de 2005

TER SOBRINHOS ADOPTIVOS

Vamos esquecer as agressividades escondidas e patentes e pensar no que de melhor nos aconteceu esta semana?
Para mim, foi abrir o Inbox e deparar-me com as fotografias de uma menina linda, moreninha e muito risonha a chamar-me carinhosamente “Titia”.
Claro que a “Titia Marta”, que está sempre pronta a derramar lágrimas, conhecida em tempos por “Madalena arrependida”, foi isso mesmo que fez.
Não só por causa da menina, que é linda, mas também pela amabilidade e simpatia daquela Mãe orgulhosa, que só me conhece daqui, da comunidade bloguista.
Estou orgulhosa da minha nova sobrinha “adoptiva”, vestida de cor de rosa, tal como eu gosto.
Porque é isso a única coisa que posso ser – tia adoptiva para os filhos dos meus amigos!
Pronta a rebolar-me no chão com eles, a aprender a jogar Play Station e outros jogos horrorosos de computador e ir às escondidas comer ao MacDonald’s.
Depois eles crescem e têm a sua própria vida, mas espero que se lembrem de mim com carinho e amizade, como alguém que participou activamente nas suas brincadeiras.
Eu não tive “um companheiro de brincadeiras” – não que tivesse uma infância infeliz, mas foi uma infância muito solitária e talvez tenha sido por isso que não tive filhos quando devia.
Mas hoje não se fala em tristezas; vamos apenas inventar brincadeiras malucas para que os nossos sobrinhos, verdadeiros ou adoptivos, não parem de rir!

1 comentário:

Anónimo disse...

Marta,
Seu blog é de muito bom gosto!
Seu coração é generoso!
Seu gesto é sensível!
Tenho cinco maravilhosos sobrinhos, os quais são minha paixão. Sou um tio presente e atuante na vida deles, apesar de hoje a distância física nos separar.
Antonio Carlos Vargas, Flórida US 12/25/2005 max_usa431@hotmail.com