segunda-feira, 3 de outubro de 2005

TROPEÇAR

Há frases engraçadas que nos fazem reflectir, como por exemplo, o título de abertura de um das partes do livro “A guardiã de sonhos”.
“Crianças que tropeçam no escuro” e a minha pergunta é a seguinte:
Os adultos não tropeçam também?
Há, no entanto uma diferença – a criança esquece porque é que tropeçou; em breve nem se lembra porque é que tem aquela cicatriz no joelho.
As nossas cicatrizes são mais complicadas e eu tropeço muito e tenho muitas!
Até agora, tenho conseguido levantar-me, olhar em frente e continuado!
Porque, tal como o título do livro, temos que guardar os sonhos para quem já nasceu, está a crescer ou começa hoje a formar-se no ventre materno.
Não sei para quem guardo os meus sonhos; mas, pelo menos, tenho muita gente com quem os compartilhar!
Por isso, não vou ter medo se tropeçar novamente no escuro!!!

Sem comentários: