sexta-feira, 28 de outubro de 2005

FANTASMAS


O vento arrasta igualmente fantasmas que, com um riso profundo e macabro escondem o rosto, mergulhando na escuridão dos cantos e das salas.
O que mais me assusta é o da idade – vaidoso, trocista, irónico – sempre a mostrar-nos um espelho, o reflexo da nossa cara!
O problema não é envelhecer; o problema é acharem-nos “velhas” para trabalhar e a idade nada tem a ver com a competência.
A competência é algo que se adquire, que se constrói ao longo do tempo, em que se procura alargar os conhecimentos e aplicá-los ao que se faz.
É difícil aceitar que, por causa da nossa idade, as pessoas pensam duas vezes antes de avaliarem a nossa candidatura e escolhi “avaliar”, porque é a palavra correcta.
O que está em causa é o que nós podemos fazer pela empresa, com a nossa experiência que é sempre uma “mais-valia”, porque, perante uma determinada situação, não vamos entrar em pânico, mas vamos agir fria, profissionalmente, explorar todos ângulos e encontrar uma solução prática.
Desculpem se me estou a queixar, mas tentem ver as coisas tal como eu as vejo e sinto.
E, se procuro a calma do Adágio de Albinoni, se deixo que o som do órgão, do cravo e do violino libertem em mim fantasias, desejos, porque não??

Sem comentários: