sábado, 12 de março de 2005

À PROCURA

Às vezes, pergunto-me se não trato este blog como um diário.
Não posso negar, ou quem me lê, que me sinto como uma “exploradora” e cada nova “descoberta”, pois procuro incessantemente a beleza, “espalha-se” pelos meus textos.
Nada há de errado em tentar encontrar a beleza e não me refiro apenas à física. Talvez seja um “cliché”, uma ideia muito batida e seja o que todos nós procuramos.
Mas é o que eu considero como beleza que é importante e todos já sabem como gosto de brincar com a lua ou animar o sol.
Como gosto de rir das coisas mais absurdas ou como fico magoada com a insensibilidade dos outros!
Como considero o vento como o meu amante favorito e como o meu amante verdadeiro me desiludiu!
Como abri a minha mente e o meu mundo fechado a coisas que desconhecia!
Pode alguém criticar-me porque, como diz a canção dos Simply Red, eu me sentir “brand new”?