segunda-feira, 14 de fevereiro de 2005

TANGO "MUY CALIENTE"

Sonhei que...

Estava a dançar contigo um tango fatal, em que cada um dos nossos passos contava uma história...

Uma história de amores contrariados, frustrados, amargurados...Tal como as nossas próprias histórias...

Quando me enlaçaste e os nossos olhos se encontraram, foi como se eu não existisse....
apenas o tango, a história que os nossos pés traçavam, em perfeita harmonia interessava.

No tango, é a expressão do nosso corpo que conta e tu agarraste-me, como se fosses um naufrago e tivesse encontrado terra.

Mas, depois largaste-me abruptamente e daí em diante, cada passo, cada gesto foi uma angústia, uma súplica, uma rejeição.

No fim, quando a música parou e ficamos expostos aos gritos de euforia de quem assistia, aí vi a sombra dum sorriso.

Leve, quase imaterial, mas um sorriso!

Deixei cair a écharpe que tinha enrolada ao pescoço e qual despojo de guerra, caiu entre as tuas mãos e aí ficou, como recordação do momento em que estivemos verdadeiramente unidos, a contar num tango a história da nossa vida!

Só que esse é o nosso segredo!
Para os outros, fica apenas a imagem dum tango, bem dançado, “muy caliente”!

1 comentário:

Carmem L Vilanova disse...

Adorei, amiga!
Muito bem escrito, muito bem sentido!
Muitos beijinhos para ti!