terça-feira, 1 de fevereiro de 2005

DELICADOS

Delicio-me com os poemas sensuais de Pablo Neruda.
Sinto-me seduzida e amada pela simplicidade dos de Vinicius.
Sorrio com o carinho dos de Cecília Meireles.
Choro com a angústia dos de Florbela Espanca.

Selecciono-os com cuidado, esses poemas!
Identifico-me com eles e por vezes, dou por mim a fazer mil e uma interpretações do mesmo poema.

Porque:

Só quem embala no peito
Dores amargas e secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas”
Florbela Espanca, “Poetas

Eu tive a minha dose, continuo a ter a minha dose de dores amargas e secretas, que conhecem um pouco, porque eu levantei o véu, porque não consigo esconder esta frustração, essa angústia que corrompe a vida e me traz lágrimas aos olhos!

Sem comentários: