terça-feira, 14 de dezembro de 2004

Á ESPERA

Sinto que cheguei novamente a uma encruzilhada!
Desta vez, não tenho que atravessar o deserto e enfrentar um clima "castigador" ou uma floresta tropical, densa, onde cada ruído assusta.
É mais um campo gelado ou minado, pronto a quebrar, a explodir se se escolher o caminho errado!
Desoriento-me, olho para todos os lados, tento encontrar um ponto de referência, mas nada encontro!
Apenas me posso guiar pelo meu instinto, pelo meu bom-senso e por isso, piso o chão com cuidado e guardo silêncio.
Silêncio que se transforma numa bola de neve e ameaça esmagar-me a qualquer momento!
Mas, por enquanto só posso esperar e deixar que o rio siga o seu curso ou faça um desvio, cavando um leito mais largo!

Sem comentários: