terça-feira, 9 de novembro de 2004

OSCAR WILDE E OUTROS

Quando dei por mim, tinha 5 ou 6 livros no meu colo!
Livros de criança e eu estava a reler cada uma daquelas histórias com um prazer indescritível! Quem é que se esqueceu dos contos de Hans Christian Anderson ou dos Irmãos Grimm? Ou a história de Oscar Wilde "The Happy Prince" - aquela estátua revestida de ouro, que observa a cidade do alto do pedestal e vê a miséria dos outros? Lembram-se do que fez - pediu ajuda à andorinha para distribuir a riqueza que o cobria por aqueles que necessitavam!
Choro sempre quando leio esta história, porque, no fundo a sociedade não mudou muito - continua a ser uma sociedade egoísta e a história, embora tenha sido escrita no século XIX, marca bem o contraste entre o fausto e a pobreza, a razão de viver e desistir das coisas ou não.
Nunca sabemos completamente o que vai na alma dos outros.
Eu apenas sei que atravessei o corredor da morte, quase atravessei a fronteira, mas algo me prendeu aqui.
O quê?? Não sei, mas deixou de ser importante descobrir o porquê.
Há uma história que tenho que escrever, há um monstro que permanece escondido, apesar dos meus esforços para que renasça e dê todas as explicações.
Estou triste e frustada, tal e qual a Ventania!

1 comentário:

frog disse...

Ainda bem Marta que algo te prendeu aqui! Para que possamos ler estes teus lindissimos fragmentos de vida.
E não queiras acordar o monstro. Encontrarás a explicação naturalmente, quando menos esperares, talvez numa dessas tardes contemplativas de Outono de que tanto gostas...