domingo, 28 de novembro de 2004

FRASQUINHOS DE CRISTAL

Perdi-me no meio dos cristais!
Perdi-me a observar como captam e brincam com a luz!
Perdi horas a seleccionar, a imaginar como é que esta taça ou a outra resultava com o arranjo de Natal
!
E, no meio de todos aqueles cristais, encontrei frasquinhos, cuja única finalidade é a de decorar a mesinha de cabeceira ou a montra dum coleccionador.
Estou indecisa entre dois desses frasquinhos – um é de cristal branco, liso, mas a parte inferior está coberta por uma folha de prata, trabalhada.
É uma rosa em relevo, perfeita em cada pormenor – as pétalas estendem-se para o bocal e parece que se enrolam aí, como se quisessem crescer mais, mas encontraram um obstáculo!
O outro é um pouco maior – tem uma forma convencional e a única diferença é a cor! É um salmão muito suave e à luz, torna-se mais carregado, mais escuro, como se tivesse algo de grandioso a esconder no interior!
E tem!
O reflexo da simples folha de trevo, em prata que o decora!
Devolveram-me o sorriso, iluminaram-me o dia!
Vou comprar os dois - vou guardar um!
O outro? Vou dar a alguém que é coleccionadora deste tipo de frasquinhos! Até já perdeu a conta; tem-nos de todas as cores, formas e materiais!
Estou certa que o meu frasquinho vai ocupar um lugar de destaque naquela montra – vai ser dado e recebido com carinho!
É isso que conta – nada mais!

1 comentário:

Maria Branco disse...

Sem dúvida Marta! Um beijo grande para ti.. Desejo-te uma semana muito feliz!