quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A REUNIÃO - PARTE IV


A conclusão é óbvia: foi o Machado que fechou a porta.  

Mas esse não é o verdadeiro problema; é o que aconteceu depois.

Houve interferência na vida das pessoas e estas esperam uma resolução imediata do assunto.

A porta tem que sair ou se ficar, terá que funcionar noutros moldes.

Resignado, mando um mail aos proprietários a marcar uma reunião extraordinária " devido à situação caricata vivida hoje no prédio" e telefono ao Meireles.

Este ri-se dos acontecimentos, mas concorda com a minha decisão de convocar uma nova reunião e aceita ir comigo falar com o Machado naquela noite.

" Se foi ele, vai ser ele a pagar a conta do serralheiro!" digo, mas o Meireles aconselha-me a ter calma e a decidir isso depois de falar com ele.

Por isso, depois do jantar, eu e o Meireles tocamos-lhe à porta.

O Machado demora algum tempo a abrir e ficamos surpreendidos por só haver luz na sala.


CONTINUA


1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

Hummm, só luz na sala? Hum, que será que motiva que na casa do Machado apenas um compartimento esteja iluminado? Poderia ficar aqui montes de tempo a congeminar... mas prefiro esperar pela continuação...