segunda-feira, 14 de novembro de 2011

PALAVRAS DE AMOR

Foto de Graça Loureiro



Escrevo-te no auge da noite.
Ainda com o sabor do desejo
nos meus lábios.
Escrevo-te no brilho da Lua Cheia,
com o suor insinuante do meu corpo.
Fecho os olhos e vivo-te novamente.
Os teus lábios em mim,
o teu corpo abraçado em mim,
as palavras de amor que se
murmuram e se repetem.
Incansavelmente


 

6 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

ternura e sensualidade aliadas.

mais um belo poema que aqui nos dás a partilhar,

a foto da Graçinha foi bem escolhia.

boa semana!

um beij

Sofá Amarelo disse...

Porque é incansável repetir as palavras de amor e sentir o suor insinuante dos corpos, porque é incansável escrever mesmo no auge da noite quando a Lua Cheia acaricia os lábios e os corpos e murmura incansavelmente!

Nilson Barcelli disse...

No amor nada nos cansa...
Excelente poema. Gostei muito.
Beijos, querida amiga.

Secreta disse...

Incansável amor.
Beijito.

Paixão Lima disse...

Palavras de amor murmuradas sob o brilho da Lua Cheia. Palavras e atos de amor com muito encanto. A Lua Cheia é uma feiticeira...

Álvaro Lins disse...

O amor excelentemente transposto para um belíssimo poema!
Bjo