sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

INTOCÁVEIS



Simples

divagar sobre a Lua

em frases certas

e vazias.

Escancaro as portas

do meu mundo

quando sonho

em ti.

Deixo que

me guies

no teu.

O nosso mundo

não tem

nome

e somos

egoístas

ao pensar

que

somos

intocáveis...



NOTA:

Termina aqui ou continua
este ensaio/jogo poético?

Decisão vossa.

Regras:


1- Obrigatório o comentário

ao poema em si

2 - Resposta à pergunta feita acima





Foto de Hugo Macedo (Olhares)
Textos protegidos pelo IGAC

Cópias, totais ou parciais, proibidas

8 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bravíssimo!
Quando há cumplicidade, os toques são dos amantes e de mais ninguém.
Keep the beat, please!
Kiss
Renata

Pekenina disse...

O poema diz tudo. Quando amamos achamos estar acima de tudo e todos. Intocáveis. À prova de tudo e todos.
Se continuas? Decisão tua :) Só tu sabes se tens mais para mostrar em relação àquilo que sentes :)

Beijinho

Marta disse...

Estava a referir-me se devia terminar com este post este ensaio/jogo poético.
Talvez o próximo passo seja desafiar-vos para um ensaio/jogo poético deste tipo.
Espero que tenham gostado deste.
Beijos e abraços
Marta

Helena Paixão disse...

Hum... eu cá fico à espera de mais!!!

Beijinhos :-)

Carmem L Vilanova disse...

Marta linda!

Minha viagem foi, na realidade uma mudança... uma vez mais estamos de volta a nossa casa no Peru e vamos REcomeçcar uma vez mais e sempre... sempre que necessitemos dar um passo para trás para dar dois para frente... :o)

Estou passando para deixar meu carinho... Hoje realmente não posso ler tudo o que tenho pendente, mas pouco a pouco vou atualizando a leitura...

Deixo também meus eternos beijos, flores e muitos sorrisos e a certeza de que... VOLTEI !!! :o)

Patrícia disse...

Olá, Marta. Olha, eu gostei bastante e sinceramente não sei se devas continuar. Na minha opinião deixa o leitor a divagar sobre todo o poema, principalmente a parte dos intocáveis. Mas se desejares continuar, apoio-te a cem por cento. Ninguém te pode tirar o mérito de um trabalho bem conseguido.

Beijinhos Marta=)
Patrícia

legivel disse...

A Lua de ser deixou
uma visão dos amantes;
desde que o homem a pisou
já nada é como dantes.


O blog é teu, tu é que decides o que fazer com ele. Também eu gostava que os comentários deixados na blogosfera tivessem a ver com os textos editados em vez dos simplórios "passei por aqui para te deixar beijinhos" ou "como tu escreves bem!", mas isso é quase como "pedir a Lua"...

Beijos a sorrisos.

Sofá Amarelo disse...

O Mundo dos verdadeiros amantes não precisa de ter nome porque é quase sempre um mundo imaginário de cores, de sonhos, de divagações, de gestos... ser intocável é um absurdo, é na leveza do toque das peles e das almas que reside a cumplicidade dos mundos dos ... amantes!!!

Acho que este jogo poético está completo! Partamos para outro ensaio... ou não será a vida em si um jogo poético, um eterno ensaio das atitudes e dos sentidos???