quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

DE COMO (UMA HISTÓRIA)


Amanhã,

todos saberão.

Como me beijaste,

arrebatadamente,

em público.

Especularão o porquê

de eu ficar surpreendida

e contarão em detalhe

como te tentei afastar

com o braço.

Como eles próprios ficaram

surpreendidos

quando o apoiei no teu ombro

e me rendi,

com paixão,

à sofreguidão

da tua boca.

Não vão esquecer a forma

desenvergonhada como

colei o meu corpo ao teu

e de como os teus braços

me apertaram.

De como olhamos

um para o outro

quando o beijo passou

e eu desatei a chorar.

Como me voltaste a abraçar

e como saímos,

sem pressas,

da sala.

Houve quem ficasse

indignado,

houve alguém que chorou,

feliz por nós.

Quem teve inveja,

bebeu mais um copo

e quem riu...

garantiu

que a noite seria maravilhosa...

Foto de Catarzyna Rzeszowska
Textos protegidos pelo IGAC - Cópias, parciais ou totais, proibidas

7 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

E eu aqui no gargarejo, rindo que nem parva, aplaudindo, de pé, gritando, aproveite porque amar é intemporal!
Bravíssimo! Lindíssimo! Marta querida! É isso aí! Superação com Amor e Bom-Humor. Nunca saia da minha vida, por favor!
Beijos mil Rêruivinha****************
Já está no coletivo o post nosso, enfim.
Publiquei no eu e daí? às 2 da manhã e até agora não caiu. Caso de pensar se o mundo todo não virou e daí?
+ Beijossssssss
Felicidades + muito Amor + Saúde + Paz y Luz.
Muito obrigada.
Não se esqueça que eu amo você.

uminuto disse...

adorei esta descrição que nos envolve nestes sentires
um beijo

Fragmentos Betty Martins disse...

._________querida Marta





.nas tuas palavras

______tu


.que tão maravilhosamente traduzes
o amor
.entrega.paixão

____________vida


.na mais bela poesia





____________///










beijO________ternO

APC disse...

despe-se a noite..
beijo

TristãoeIsolda disse...

Rendeste-te ao beijo que te beijou, beijando-o.

Abraço

legivel disse...

o exacerbado pudor
dos defensores da pública moral
revela que são orfãos do amor
do amor feito desejo coisa e tal.

do amor feito desejo coisa e tal
e por experiência feita de tal feito
houve quem ficasse feliz pelo casal
que faço votos não lhe perca o jeito.

beijos e sorrisos.

Sofá Amarelo disse...

O beijo... o abraço... as lágrimas... fazem sempre sentido, sejam em público sejam no privado dos momentos! A cumplicidade dos sentidos não pode ter um cenário montado, nem um guião, nem um manual de 'boas maneiras'... a cumplicidade dos sentidos acontece quando nos conseguem surpreender...