sexta-feira, 21 de novembro de 2008

DESESPERO










Escrevo-te
Já na aurora…





Após uma noite vivida em desespero
Pois a insónia….
Não consegui vencer….




Desfaço as lágrimas num silêncio encantado….
De te sentir ainda adormecido….
Em paz….
…………Sem a confusão que ameaça ruir a minha…………







(Foto "_Um caminho do silêncIO-" Bruno Silva, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC)

6 comentários:

A. Jorge disse...

Poema fantástico.
Pois, às vezes acontece. Uma insónia de vez em quando faz parte.
Espero que hoje durmas bem!

Um beijo

Jorge

Pekenina disse...

Às vezes sentir a paz de outra pessoa, ainda que a dormir, acalma muitos tormentos nossos.

Beijinho

Betty Branco Martins disse...

.querida_______Marta





os teus sentires______procurando a "paz" que não_____"ruirá" pois encontrarás





.o





equilíbrio_______...











beijO___C_____carinhO
bFsemana

Sol da meia noite disse...

A paz pode ruir... também edificar-se.
Auroras são promessas...

Jinho *

Cöllyßry disse...

O amor mesmo adormecido ao lado, deveria fazer sentir tranquilidade...

Terno beijo

M.C disse...

....

Às vezes fica difícil equilibrar a realidade
com o que se passa dentro de nós numa noite de insônia.

Olá querida Marta, estou indo bem. Espero que tu também!

Abraços, saudades.