segunda-feira, 15 de setembro de 2008

SEM IGUAL










Em dias como hoje….
Pergunto-me o que acontecerá…

Até as palavras recusam-se a obedecer-me…
E o meu reflexo, no espelho é difuso….

Continuo aqui….
Perdida no meio da neblina…
Vejo os outros…
……. Não os deixo que me vejam…

Tenho frio e o Sol já abriu…
Os outros olham-me de lado…
……..No íntimo chamam-me inconsciente…….

Talvez seja…
Porque, em dias assim…
Sinto tudo mais intensamente….




(Foto "Hide 'N Seek (Again) Hugo Macedo, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC)

5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Mas as palavras obedeceram à tua capacidade criativa e nem te vi perdida neste belíssimo poema.
Por isso, vejo-te consciente e, no sentir, intensamente...
Beijinhos.

Sol da meia noite disse...

"Porque, em dias assim…
Sinto tudo mais intensamente…."

Maravilhosamente profundo.

Beijinho *
:-)

Alexandre disse...

Ver os outros sem que eles nos vejam - eis o êxtase da sensibilidade e da sensualidade - todos nós gostaríamos de ter esse dom... nem que fosse por momentos...

Só Eu disse...

Olá Marta
Texto lindissimo (um pouco triste, não é?)
Há dias assim. Como eu te entendo.
Se precisares falar já sabes onde "moro".
Beijinhos

Xinha disse...

Há dias assim... é uma verdade !

Gostei da sensualidade, com que vês os outros, sem que eles te vejam...

Mas, não estás perdida... estás apenas, a viver cada instante com mais intensidade !!

Xi-coração