sexta-feira, 5 de setembro de 2008

NADA HÁ A DIZER





Nada há a dizer!

Já nem resultam as
Palavras de incentivo.

No horizonte a lua, trémula, acesa de tantos sonhos
Percorre o céu onde já dança ao som das brisas

Nada há a dizer!

Irremediavelmente, deixo que as palavras se calem,
Que o desejo se esfume
Porque há muito os meus dedos se cansaram
De fazer poemas com sabor a nada!

Nada há mais para dizer!



(Foto "This is my kngdom", Rui Vieira, Olhares.Com)


Texto enviado por mail pelo Só Eu
em resposta ao meu desafio de Setembro (post anterior) e publicado aqui com o meu muito obrigada








6 comentários:

Só Eu disse...

Marta.
Fantástico!
Que mais posso eu dizer? Nada há mais para dizer!
É um prazer enorme trabalhar contigo.
Muitos, mas mesmo muitos beijinhos

Shelyak disse...

Tantas vezes que também penso nisso...Nada mais há para dizer. Está tudo dito!!! Um encolher de ombros ? Sei lá!
Beijinho para ti:)

Alexandre disse...

Quando pensamos que nada há a dizer é porque ainda muita coisa se pode dizer... nada é relativo, assim como a força do vento: às vezes é incómoda mas quantas vezes sabe bem ter a renovação do ar no rosto...

Há sempre tudo a dizer. Muitos beijinhos, Marta!!!

Nilson Barcelli disse...

O só eu "desenrascou-se" bem.
Gostei.

Bom fim de semana, beijinhos.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gostei do desafio e da resposta ao desafio. Querida, vc pode ir tranqüilamente apreciar o meu novo post no meu Blog, pois devido a problemas com essa joça desse computador, só fiz a crítica de um filme, mil vezes visto, que merece ser mil vezes visto de novo, e postei poemas. Conto com vc.
Um abraço,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Sol da meia noite disse...

Há sempre para dizer o que nunca foi dito... ainda que em palavras caladas.

Beijinho *
:-)