segunda-feira, 19 de dezembro de 2005

REALIDADE

Só hoje é que compreendi verdadeiramente que a noite de Consoada é no sábado.
Talvez porque estive demasiado ocupada com o meu próprio projecto de Natal e nem sequer me lembrei que devia ter incluído a compra dos presentes.
Para os meus Pais, mas creio que isso não vai ser um problema, porque o importante é o facto de que, e apesar da idade avançada deles, eu vou celebrar o Natal com eles.
Por quanto mais tempo não sei e um livro, que é o que eu ofereço geralmente, posso dar em qualquer altura.
Aliás, um dia quando tiver que arrumar as coisas deles e encontrar esse livro, cheio de pó e escondido por outros, o que eu quero é sorrir e dizer:
Ah, cá está o livro que não cheguei a ler, porque a Mãe se encarregou de me contar a história toda!” e não começar a chorar e pensar que “dei-lhe este livro naquele Natal, lembras-te?, em que…”
O dia de Natal vai ser um dia igual aos outros; não vou pensar se será o último ou não com os meus Pais e apesar dos discursos derrotistas da Mãe e dos amuos do Pai, vou gozar o melhor possível a companhia deles e deixar que se sintam reconfortados com a minha presença.
Acho que esse é o melhor presente para qualquer um de nós – estarmos em paz, a gozar a companhia uns dos outros!!

Sem comentários: