segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

POUCO A POUCO

Pouco a pouco, começo a receber respostas aos meus Cartões.
Recebi um, também com música, com o símbolo da Paz – as pombas a voarem num fundo verde – com uma mensagem muito simpática.
Alguém também me avisou carinhosamente que estará online nessa Noite e que poderemos conversar um pouco e houve outra pessoa, que ficou extremamente sensibilizada e me disse “ter adorado a surpresa”.
E a surpresa foi apenas um cartão, um simples cartão!
O Natal é exactamente isso – surpresas e surpresas agradáveis!
Mas pode acontecer que mesmo assim, não estamos felizes e segundo o artigo que li ontem, não há nada de errado em admitirmos isso.
Tal como o artigo diz, o problema está em conseguir que os outros compreendam esse ponto de vista – por exemplo, a minha Mãe e a minha irmã não aceitam que eu queira mudar um pouco a ementa, a forma de se passar o dia e nem sequer querem ouvir o porquê da minha sugestão!
Uma das dicas que o artigo dá para se passar melhor o dia de Natal é fazer o que se gosta.
Por isso, vou entrar no Messenger e conversar um pouco com a minha amiga, vou comprar um livro que me leve para o outro lado da fronteira e vou escrever.
Sobre o quê, não sei – talvez como deixar para trás quaisquer expectativas que possa ter tido em relação a determinadas pessoas!

Sem comentários: