terça-feira, 6 de dezembro de 2005

PREPARAÇÃO


Agora que acabei de enviar os meus Cartões, falta escolher uma música e conceber um jogo de cores, não só para a árvore, mas para a mesa, para nós … enfim, para que ninguém fique de fora.
Quanto à música, sei que a Diane Krall tem um disco novo, restaurando ao som de jazz velhos êxitos natalícios que todos conhecemos.
Contudo, talvez seja melhor escolher uma música mais “viva”, mais “ardente”, como por exemplo “All I want for Christmas is you”, escolhendo um som e uma orquestração mais moderna que convide a dançar.
Bem sei que há aquela ideia pré-concebida de que só devemos dançar no Ano Novo, mas não estará na altura de quebrar essa tradição e transformar o Natal numa festa que dê brado e faça as pessoas abrirem a boca de espanto?
E as cores? Oh, vamos esquecer o vermelho, o dourado e o preto!
Porque não apostar no laranja forte, no verde água, no rosa claro, no azul escuro, tendo sempre como base o branco.
Porque o branco é o branco – dispensa qualquer apresentação, é a cor mais rica que há.
E não concebo o Natal sem essa cor – é a cor que dá alento e inspira confiança! E o que é a vida sem confiança?

Sem comentários: