terça-feira, 13 de junho de 2017

O REGRESSO - FIM


Sim, Leandro conhecia muito bem o Agapito Pedrada, um dos "correios" do Bando da Cruz.

Também sabia que, algumas vezes a informação prestada era apenas para desviar a atenção das actividades do Bando, mas valia a pena confirmar a veracidade da dica.

Por isso, Leandro pediu ao Bernardes para localizar o Agapito Pedrado e o levar à esquadra " depressa".

Bernardes informou-o de que os corpos eram dos irmãos " Bicudos" e tudo apontava para que tivessem sido assassinados na casa em ruínas.

" Mas para quê cortar a mão do irmão?" inquiriu o Bernardes e o Torcato sugeriu:

" Um gesto de intimidação. Pressionar o "Bicudo" para lhes dar o que eles queriam..." 

" Pois... Mas o quê? " perguntou Leandro " Talvez o Agapito saiba. Ele gosta de falar."

E, efectivamente o Agapito falou. Teria 35 anos, alto de olhos azuis e sorriso franco, mas Leandro sabia que ele podia ser calculista.

Sim, a casa foi utilizada muitas vezes pelo Bando da Cruz para as chamadas "vendas rápidas", mas não nos últimos meses, pois tinham encontrado um local mais discreto.

O " Bicudo"?  Não o conhecia muito bem, mas sabia que frequentava os bares da Zona da República e corria o rumor de que devia dinheiro a toda a gente.

" Principalmente ao Bernardo "Taverneiro", o dono do Bar da moda, o " Tecto". Mas porquê? Qual é o seu interesse no " Bicudo"? Não é importante; é má rês, mas nada mais do que isso." concluiu o Agapito.

" Apareceu morto nessa casa e o irmão também! Estamos a tentar descobrir quem foi. Ouviste alguma coisa?" inquiriu Leandro.

" Só isso! Que devia imenso dinheiro ao Bernardo " Taverneiro" e este pode ter-lhe exigido pagamento. O Pai do Bicudo não tem uma pequena empresa? E não se candidatou ao Portugal 2020? " replicou o Agapito, sorrindo.

Leandro olhou-o e soube, nesse instante, que era tudo o que o Pedrada diria, mas não precisava de saber mais nada para compreender o que se tinha passado.

Queriam o dinheiro que a empresa iria receber e cortaram a mão ao irmão para o "Bicudo" ceder.

Talvez o irmão tenha gritado ao "Bicudo" para não o fazer e o tenham morto para o pressionarem ainda mais.

E podia ter havido uma luta e o " Bicudo" morrido em consequência disso.

Que regresso turbulento! Pensou Leandro enquanto analisava a possibilidade de pedir uma investigação à candidatura da empresa dos Pais do "Bicudo".

" Estou mesmo a ficar velho para isto!" murmurou Leandro.


FIM


2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Ufa, chegou ao fim... um policial com todos os ingredientes dos grandes policiais, e com um final de suspender a respiração... está lá tudo: o suspense, o mistério, o incógnito, o provável e o que poderia ter acontecido. Uma grande história bem construída, com personagens muito bem trabalhadas, com referência a pormenores actualíssimos (Portugal 2020, por exemplo). Muitos parabéns, gostei, podes começar a juntar os teus contos para os publicares um dia ...

Daniel Costa disse...

Que enredo Marta, bom de ler por a leitura prender.
Beijos