sexta-feira, 30 de junho de 2017

O FILME - PARTE IV


No dia seguinte, ao almoçar com um amigo, explico-lhe tudo sobre a minha ideia.

Ele ouve atentamente, talvez satisfeito pela conversa ser finalmente sobre alguma coisa que me apaixona e sugere:

" Mas porquê escrever um argumento? Porque não um conto? Tens duas personagens, uma ideia do que vai acontecer... Porque não tentas? "

" Achas? " pergunto, admirada e ele sorri. 

" Claro que sim! Colocas os teus personagens numa determinada situação e imaginas a reacção deles. Não disseste que um deles quer " apimentar" os livros que escrevem? Um clube de strip é capaz de ser uma boa ideia...." diz.

" Mas não sei nada sobre Clubes de Strip!" admito, mas o meu amigo não desiste e incentiva-me a fazer pesquisas no Google, no YouTube.

" És boa rapariga, mas não compreendo essa tua mania de dizeres sempre que não. Depois até consegues, mas a tua primeira reacção é sempre dizer não." concluí.

Despedimo-nos à porta do restaurante e fico a matutar na ideia durante a tarde.

Felizmente, não tenho nada de importante a reclamar a minha atenção imediata e posso divagar um bocadinho durante o expediente.

Ok, NÃO DEVIA! 

Mas estamos numa fase calma... é tempo de férias...

CONTINUA

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

Argumento / Conto / Guião... no fundo, no fundo, vai tudo bater na mesma tecla, o que importa mesmo é o que está escrito e o que está escrito é muito bom...