terça-feira, 27 de junho de 2017

O FILME - PARTE III


Aqui diz que um argumento é " um documento que precede o guião".

Por isso, é a história em si... Ok, já compreendi....

"Qual é a história que quero contar?" Pergunto-me com a caneta no ar e a folha pronta para o primeiro rabisco.

" Carolina e Jorge, uma dupla de escritores em crise. Em crise como casal e como escritores. " acrescento. 

"Mas o que é que eu sei sobre crises matrimoniais?" interrompo-me.

As discussões dos vizinhos à horas impróprias? Ou as que surpreendemos nos passeios?

" Jorge quer mudar a estratégia do próximo livro. Diz ele que os enredos começam a ser repetitivos e têm que introduzir fantasia, sensualidade, erotismo.
Carolina está apreensiva; está fora da sua zona de conforto. Mas Jorge assegura-lhe que é exactamente isso que falta.
Nos livros ou em nós como casal? Pensa Carolina, sem se atrever a dizer alto."

Releio as frases e gosto. Gosto mesmo muito....

Se não fosse a discussão diabólica dos vizinhos, creio que nem jantava, tão entusiasmada estava.

CONTINUA


1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

E a ficção cruza-me com a realidade... quantas vidas haverão assim? Por vezes é mesmo difícil de saber se a vida dava um guião ou se um guião é "inventado" decalcado da realidade... aqui estão os ingredientes que servem para as duas coisas...