sábado, 20 de maio de 2017

ESTRANHO - PARTE III


" Mas o que é isto? Insubordinação? Onde é que estiverem? " perguntou o Meireles.

" Recebemos uma chamada sobre um objecto estranho no Jardim da Praça... " explicou o Bernardes.

" Que objecto estranho? " interrompeu de imediato o inspector " Uma bola de uma criança? " e riu-se.

" Não, por acaso, foi uma mão humana. Já está com o médico legista; devo ter mais detalhes amanhã." continuou o Sargento, calmamente.

" Oh, não seja ridículo! Nem pense que vai perder tempo com isso." desvalorizou o Meireles.

" Não concordo consigo!" disse uma voz por trás do Meireles que se virou rapidamente, pronto a enfrentar quem o ousava desafiar em frente dos homens.

Corou violentamente quando viu que era o Comandante.

" Peço imenso desculpa... " mas o Comandante nem o quis ouvir, pois estava mais interessado em saber o que o Bernardes estava a planear fazer.

".... por isso, esta noite, o Torcato vai falar com a "família" que frequenta o jardim à noite para saber se notaram alguma coisa estranha... " concluiu o Bernardes.

" Perfeito! Fica responsável pela investigação. Mantenha-me informado." pediu o Comandante.

O Meireles nem se atreveu a falar.

CONTINUA

2 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Um jardim por onde as pessoas passam à noite é sempre um local de mistério... passam pessoas no seu jogging, passam pessoas como amantes, passam pessoas fechadas nas suas conchas, passam pessoas escondidas por trás das suas gabardinas... o desfecho pode depender muito da competência de quem fica à frente de um caso grave como o descrito até agora...

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Impressionante texto. Feliz semana