quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

CARTA - II


"
Caro Pai Natal,

Eu sei... Sei muito bem...

O que prometi no Natal passado... Talvez não devesse ter feito a promessa...

Mas não posso resistir à leveza do tecido, às cores quentes do estampado e à forma como esculpe o corpo...

E a maquilhagem e o cabelo têm que estar perfeitos... 

Eu sei... Sei que prometi ser mais discreta, mas para quê negar?

Adoro ser o centro das atenções...

Por isso, Pai Natal, perdoe-me se não fizer qualquer promessa este ano...

Apenas posso ser eu e pensando bem, Pai Natal?

Eu sei que gosta que eu seja assim...

Vaidosa, feliz...



Boas Festas para todos


3 comentários:

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Muito interessante, original, esta sua carta ao Pai Natal.
Há momentos em que nos faz bem despirmo-nos de preconceitos, se é que entendi bem:))!!
Retribuo os seus votos de Boas Festas.
Beijinhos,
Ailime

Sofá Amarelo disse...

Até pode dizer-se que deve haver um misto de vaidade na felicidade... porque quando se é feliz gosta-se de si próprio, pois este e o melhor passo para gostar dos outros... e promessas para quê? O que importa é estar de bem com vida... e não será o Pai Natal também o centro das atenções?

Agostinho disse...

Olá, Marta, bom dia!
Com o sol venho trazer um doce natalício e um beijo.