quarta-feira, 18 de maio de 2016

ESPERANÇA


O que têm em comum Zorba e a Marcha Radetzky?

Por minutos, esquecemos a maldade do Mundo...

Trauteamos a melodia, batemos palmas e dançamos...

Numa espiral alegre... Com vontade de abraçar este Mundo e o outro...

O primeiro dia do Ano não fica completo sem se ouvir a Marcha...

E Zorba? Perfeito para se dançar de pés descalços, na areia molhada...

Mas...

Logo à noite posso ficar encantada com o "Coro dos Escravos" da ópera Nabucco...

E sonhar que estou ali, nas margens do rio Eufrates, a relembrar 

a pátria perdida...

Porque estamos a falar de esperança....

 

3 comentários:

heretico disse...

muito bem - um belo texto

bj

Manuel Luis disse...

Numa praia, na melhor do mundo também eu descalço dançava numa data qualquer sem nada perder, mas continuar a ter esperança.
Bj

Sofá Amarelo disse...

E pode haver esperança em cada acorde musical, seja banda sonora de um filme ou de uma vida... ou de várias vidas, perdidas no tempo algumas, mas sempre em sintonia na sinfonia que são a música e o movimento do corpo e da alma...