quinta-feira, 5 de maio de 2016

DECLARAÇÃO



Não estou na corte dos Tudor, mas continuo no Porto...

O Porto que perde a graça quando chove... Porquê?

Há mais carros... Mais pessoas... Mais atrasos... 

Será a chuva a culpada?

Ou somos nós que maltratamos tanto a natureza que a única forma que esta tem de

chamar a atenção é enviar uma chuva miudinha?

Para nos lembrar que não somos os Donos do Mundo...

Que a chuva, o Vento, o Sol existem também... Mas tão egoístas que nós somos...

Raramente os escutamos...




4 comentários:

Carlos Fragata disse...

Nem mais, também penso assim.
Se tivéssemos respeitado o que nos foi oferecido desde o princípio dos tempos, estaríamos no paraíso...
Bjs

Sofá Amarelo disse...

E a chuva e o vento aí estão de novo, delineados nos contornos da natureza, pouco desejados na corte dos Tudor... ou na cidade Invicta...

heretico disse...

a natureza vinga-se da arrogância dos homens

muito bem

Manuel Luis disse...

E muito contraditórios! Quando chove queremos sol e quando está sol queremos chuva. A natureza está no seu bom desempenho, que nunca deixe de chover.
Bj