quarta-feira, 22 de setembro de 2010

PRESA

Gosto de me sentir presa no teu abraço,
de te sentir bem meu.
Com a minha boca entreaberta,
a deliciar-se uma vez mais com
o cheiro da tua pele.
Adormeço, embrulhada em prazer.
Acordo, os meus sonhos e os meus desejos
descobertos


Foto de Alexander Kharlomov "Lips" (Olhares)

Há muito que não danço comigo.
Afasto-me dos meus próprios segredos.
Desconverso, sorrio.
Lamento o meu próprio silêncio, mas
não o interrompo.


Foto de Manuel Madeira "Bom dia....Alegria" (Olhares)

6 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Amiga...
Ainda hoje, depois de anos de casada, ainda durmo assim... "presa" no abraço dele e vou dizer-te algo... é tãooooooo boooooommmmm...
Amei o poema!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Sofá Amarelo disse...

Há prisões que são um... prazer! Porque a delícia de estar embrulhado em desejos descobertos não é mais que uma dança feita de silêncios e desconversas mas com todo o ... significado dos segredos!

legivel disse...

Aldomiro, ficou mudo de espanto ao ler as letras que aquela mulher lhe dedicara. A bem dizer, nunca uma mulher o abraçara daquele modo impetuoso e muito menos lhe chamara seu (dela, entenda-se), tão pouco se deliciara com o cheiro da sua pele, a dele, que apenas aos domingos no dia de natal conhecia o toque do sabonete.
Preso estava ele, numa confusão de sentimentos.
Queria saber mais. Ligou para ela e a voz gravada dizia sempre o mesmo "Lamento o meu pr´prio silêncio, mas não o interrompo."


beijos e sorrisos.

Secreta disse...

Que prisão boa de se sentir.
Quanto ao silencio, esse, nem sempre é para se quebrar.
Um beijito.

dafmds disse...

Parabens, vc ficou livre dessa peste da Renata Falsária!
Parabens por sua poesia, também. Principalmente por isso!
Beijos negros

pin gente disse...

felizmente presa a ti

um beijo, marta