domingo, 12 de setembro de 2010

INSPIRAÇÃO

Continuo exilada em mim,
sem saber se me guardas em mim.
Deslizo a mão por onde passas
em noites em que te provoco;
noutras, só te inspiro.
E, nesses noites, em que relembro
o teu corpo e o teu beijo,
nego-me ao sono e reedito-te
na minha pele.



Foto de Zemotion "Obsession" (DevianTArt)

7 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Querida amiga,
Lindo poema, como de costume...
Gostei muito!
Felizmente já me encontro melhor de saúde e pouco a pouco vou atualizando tudo o que ficou meio fora do lugar...
Recebi tua mensagem e vou responder com carinho...
Beijos, flores e muitos sorrisos!

alice disse...

gosto muito do novo ambiente do teu blog, marta. as tuas palavras ficam bem assim. espero-te bem. um beijinho.

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema, querida amiga.
Gostei imenso.
Boa semana, um beijo.

Sofá Amarelo disse...

Nada melhor que reeditar alguém na nossa pele, e o sono é apenas um pormenor porque as noites fizeram-se para relembrar corpos e beijos guardados em exílios inspirados.

Secreta disse...

:) reeditar mais e mais, porque é assim a urgencia do amor.

Maria Carolina S, disse...

Lindo poema!
Nada será apagado uma vez que a memória a maior inimiga do tempo
então é mesmo ótimo reeditar constantemente os fatos para evitar de esquecer alguma coisa... ou alguém

grande beijo
M.T

avlisjota disse...

"sem saber se me guardas em mim."

Belo, profundo... uma inspiração o teu poema!

Bjs

José