domingo, 24 de julho de 2005

EU, A VENTANIA E A SOFIA

Ao abrir a pasta, encontrei o rascunho para a minha história.
Uma história para crianças, esses seres maravilhosos que nos fazem sentir “grandes” em sentimentos e desejos.
Porquê uma história para crianças? Eu, que não tenho filhos – nunca terei – e pouco convivo com crianças.
Não sei; talvez porque são um público mais exigente e eu quero responder a esse desafio.
Porque eu própria exijo dos autores que aprecio e leio coerência, bom desenvolvimento da história, bom enquadramento na época, caso se trate de um romance de ficção histórica.
Porque nunca tentei escrever uma história completa, com personagens e achei que uma história para crianças era um bom ponto de partida.
Lembram-se da Ventania e da sua gata Sofia?
Já escrevi aqui no blog sobre estas minhas 2 personagens, transcrevi a frase de abertura, mas a uma certa altura "bloqueei" e sinto que há qualquer coisa que me está a falhar.
Li livros de autores infantis, para estudar as palavras que usam, as imagens que constroem para me guiar.
A verdade é que não lhe tenho dedicado muito tempo; talvez agora, nas férias com calma, eu consiga fazer o que Eugénio de Andrade aconselha num dos seus poemas:

paciente; espera que a palavra amadureça……”


1 comentário:

Carmem L Vilanova disse...

As crianças compreendem tudo, Marta amiga! Nós, "gente grande" é que temos a mania de complicar tudo! :)
Deixo-te muitos beijinhos sorridentes! :)