segunda-feira, 18 de outubro de 2004

O DESFILADEIRO

Por onde quer que vá, só ouço falar de amor!
Mas hoje não vou falar de ti - vou falar de mim!
De mim e do medo que me atrofia os dias e me faz sentir isolada de mim própria e dos outros!
Da dor que tento disfarçar,
mas que não me deixa concentrar no que gosto verdadeiramente.
Do silêncio que os outros interpretam mal, mas que quem me conhece bem, sabe que ele é sinal de que algo vai mal!
Da minha boca seca, dorida!
Das palavras que me custa a articular e que só consigo escrever!
Do grito que deveria dar - bem alto, para soltar esta dor que me faz ter medo
!
Do desfiladeiro a que cheguei e que tenho que atravessar, mas que vou atravessar com calma, com tempo para não escorregar, cair e perder tudo!
Porque só eu o posso fazer e com o apoio de quem me quer bem. Aqueles que são meus amigos verdadeiras e para quem não há distâncias!

1 comentário:

frog disse...

Olá Marta! Cheguei aqui por acaso e ainda bem!... Vim encontrar ternura, sensibilidade e muito bom gosto...

VOU VOLTAR!... podes crer!

Uma noite feliz