quarta-feira, 20 de outubro de 2004

A DOR

A chuva parou, mas o vento continua a soprar e a empurrar-nos para um destino que não queremos.
Desligo o telemóvel, porque quero estar só e os outros olham-me desconfiados, não acreditando que eu seja maluca ao ponto de enfrentar a ventania!
Mas eu preciso de ar, de esquecer a dor que insiste em me pontapear e a fazer com que sangre, bem lá no fundo do meu ser!
Depois, quero chorar e não quero que os outros vejam. Ou melhor, mesmo que vejam, quero que fiquem na dúvida se estou mesmo a chorar ou se é este vento agreste e frio que faz com que as lágrimas humedeçam os meus olhos!
Este é um momento privado e já que não o posso partilhar com quem queria, prefiro ficar só!!!

2 comentários:

lique disse...

Pronto, Marta, vou já embora, deixo só um beijinho, tá?

frog disse...

Olá Marta! Todos temos os nossos silêncios...

" o silêncio que fazemos é o resumo / Do que fica de nós em cada hora / Apenas fumo / deste lume irreal que nos devora.

Um beijo e noite feliz