quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

BRITES - PARTE III


Brites sorri e diz:

" Estou aqui em serviço." e Amélia repete " Em serviço? Serviço de quê?"

" Eu disse-te que trabalhava na Polícia Judiciária." explica o detective e nota que Amélia fica muito agitada, como se tivesse alguma coisa a esconder.

" Pensei que estavas a brincar. Pensei que estavas a brincar!" e quando as portas do elevador abrem, saí apressada.

Brites fica confuso, mas na sua mente já está a levantar uma questão que faz todo o sentido.

Estará Amélia implicada com o caso? 

Mas Loureiro interrompe-o, dizendo que há duas chaves - uma guardada na sala de segurança e que está agora na posse deles e outra no Departamento de Manutenção.

Ambas as salas estão protegidas por um código de acesso, o que significa que....

" Pode ter sido um serviço interno!" completa o Brites.

" Falei com o Chefe do Departamento e ele mostrou-me onde guarda a chave. Está muito admirado, pois só ele tem acesso ao local e não a dá a ninguém." diz Loureiro.

" Mas pode tê-la deixado naquela reentrância enquanto verificava qualquer coisa e alguém pode ter feito um molde." sugere o detective.

" Pois. Vou verificar a equipa de segurança, a empresa, etc. E já pedi a listagem com os nomes do pessoal da Manutenção; o Gonçalves tem que os investigar." informa o Loureiro.

No percurso até à esquadra, Brites não deixa de pensar na atitude da Amélia.

Ter reagido daquela maneira... é muito suspeito.

Ainda por cima, há uma Amélia Rodrigues na lista dos funcionários que trabalham no Departamento de Manutenção.

Será ela?

CONTINUA



2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Pois, nunca se sabe, pode ser ela!

Beijos- Boa noite!

Larissa Santos disse...

Acompanhando e interessada:))

Hoje : Lágrima em rio de cumplicidade
Bjos
Votos de uma óptima Sexta - Feira.