segunda-feira, 31 de julho de 2017

A EDITORA - PARTE IV


Leonardo está muito agitado e parece que envelheceu dez anos. Quando Carolina brinca com isso, ele suspira e diz:

" É o Jaime. Está completamente louco ou sou eu. Aquele livro sobre a paixão do Detective Latitude com a stripper foi uma autêntica bomba; ninguém estava à espera de um romance tão sensual. Foi inteligente, um golpe de génio. Mas este novo livro...." e volta a suspirar.

" O que se passa com este livro? Tenho estado a preparar o meu próprio livro; e, depois,  não estou muito interessada nos assuntos do Jaime...." confessa Carolina " Mas, vejo que estás preocupado; conta lá, veremos se te posso ajudar..." 

" Aquilo que li assustou-me... É altamente pornográfico... não há crime; há apenas o Detective Latitude e a stripper... Quando lhe perguntei se não seria melhor reescrever certas partes, ele apenas riu e disse-me que não. Pedi-lhe, então, que me devolvesse o adiantamento, pois pornografia não faz parte da política da editora e não posso publicar o livro..." interrompe-se e bebe mais um gole de vinho.

" E? Já o gastou? " ajuda Carolina e Leonardo acena que sim.

" Com a stripper que fugiu, entretanto para Itália. Onde ele está neste momento à procura dela." quase grita Leonardo " Tenho a direcção da editora a berrar, a perguntar-me pelo livro e um autor louco, que não atende o telemóvel. O que é que eu faço? "

Carolina está chocada e não sabe verdadeiramente o que pensar, o que sugerir.


CONTINUA

1 comentário:

Sofá Amarelo disse...

E é motivo para Carolina ficar apreensiva, afinal foi deturpado o acordo literário, e de um livro em princípio policial parece que vai aparecer um livro de literatura pornográfica, se bem que por vezes é difícil por barreiras estanques entre o mundo da noite e o enfoque policial...