quinta-feira, 20 de outubro de 2011

TOQUE DE SEDA

Continuarei a falar de amor.
Desse desejo insano com que
me enlaço em ti.
Do teu toque de seda na minha pele.
Do meu sorriso misterioso.
Nesse amor que sempre foi um mistério,
que a pele decifrou
lentamente e me deixou nua.
Por isso, falarei de amor,
mesmo que contigo já não o partilhe....
 

O Autor desta foto é desconhecido


6 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

amor e renúncia.

gostei muito.

um beij

Sofá Amarelo disse...

Falar de Amor já é o ponto de partida para o partilhar, porque quando os desejos insanos se enlaçam e entrelaçam nos toques de seda na pele e nos sorrisos misteriosos, pensar já é falar de Amor em páginas de palavras nuas lentamente decifradas e... partilhadas!

Nilson Barcelli disse...

Sabes falar de amor como poucos... com uma serenidade que nem o mistério abala...
Excelente, gostei imenso.
Querida amiga Marta, desejo-te um bom fim de semana.
Beijos.

Liene disse...

Marta,

Quando o corpo aprende a linguagem do amor fica impregnado na alma. Já não sabe-se outros caminhos senão os que levam ao mesmo destino.

Encanta-me teus versos, sempre!

Um beijo super carinhoso
Tenha um domingo de muita paz

Paixão Lima disse...

Falando de amor:

Não há nunca amor perfeito
Sem tortura e sem cuidado.
Amar é ter Deus no peito
Outra vez crucificado.

Concordo com Augusto Gil.

Gostei do seu poema. É um lindo «toque de seda» que fala, e muito bem, de um amor misterioso...

Daniel Costa disse...

Marta

No amor pode bastar o toque. pode vir o resto por arrastamento.
Beijos