domingo, 30 de outubro de 2011

DONA DO MUNDO

Sinto que te conheço desde sempre.
Talvez seja um absurdo; eu própria duvido.
Mas há qualquer coisa no teu olhar, no teu riso
que conspira com a minha pele
e não é só uma simples atracção.
É como se os 5 sentidos se tivessem entrelaçado,
partissem na busca dos teus
e aí se reescrevessem.
Sei o que me vais dizer,
adivinho quando me vais beijar
lentamente, oh, lentamente, amor
e quando em mim te deitas,
sou a dona do Mundo…

O autor desta foto é desconhecido

7 comentários:

AC disse...

Quando se sente a partilha por inteiro...
Belo, Marta!

Beijo :)

Maria selma disse...

Muito lindo,
Marta "Este amor que se completa por inteiro"
Lindo domingo
beijos

Nilson Barcelli disse...

Quando se ama, conhece-se desde sempre...
Belo poema, muito romântico.
Querida amiga Marta, tem um bom resto de Domingo e uma boa semana.
Beijos.

Álvaro Lins disse...

Somente: Belo.
Bjo

© Piedade Araújo Sol disse...

a partilha de afectos, sentimentos e ternura.

sensual q.b.

gostei!

beij

Paixão Lima disse...

Prazer, mas devagar...
Na câmara lenta do desejo...
Somos donos do mundo, quando possuímos o que consideramos ser o nosso mundo. Nada mais importa.
Querer para valer.

Sofá Amarelo disse...

Ser dono do mundo é ser dono dos 5 sentidos entrelaçados, reescritos lentamente em conspirações com a pele, com os risos e os olhares... é quando os absurdos não são mais do que partilhas e os beijos não são só simples atracção mas verdades do dono (dona ) do Mundo!