terça-feira, 25 de outubro de 2011

POÉTICO

Poderia falar-te sobre o mel dos meus lábios,
ou do calor do meu abraço.
Num texto extremamente poético,
num poema vulgarmente intenso.
Mas não o vou fazer,
porque basta olhares-me.
Como me estás a olhar agora.
Como sempre te pedi que fizesses.
Perdido nas histórias que os meus olhos escrevem.
Histórias de encantar, inacabadas
porque falam de amor,
que nunca se despede.
 
 

Do álbum de João Mateus "Silk on the Soul" (via Facebook)


6 comentários:

Peter disse...

Mais um belo texto merecedor de ter um destinatário.

AC disse...

O amor cultiva-se, reinventa-se...
Belo!

Beijo :)

© Piedade Araújo Sol disse...

por isso são inacabadas.
as histórias de amor.
gostei.

beij

tecas disse...

Poeticamente sublime!Toas as histórias de amor, mesmo as mais tristes, valem sempre a pena.
Bjito amigo e uma flor.

Paixão Lima disse...

É poético, com sentido de humor e com visão...para além do horizonte...
O mundo é bicolor ; um triste mundo cinzento.
Urge embelezar a paisagem com as cores do arco-íris.
Pelo que é essencial perdermo-nos em histórias de encantar que falem de amor...
Parabéns por tão belo e inteligente poema.

Sofá Amarelo disse...

As histórias escritas com o olhar são sempre histórias de encantar, inacabadas porque falam de Amor e as histórias que falam de Amor nunca têm fim, nunca se despedem de quem as lê porque o mel dos lábios transforma-se num abraço que pode ser intenso mas nunca vulgar...