segunda-feira, 17 de outubro de 2011

LABIRINTO

Esta noite,
deixa que seja eu a guiar-te
pelo labirinto do meu corpo.
Fechas os olhos se te pedir?
Com as mãos quietas?
Sem que uma palavra,
um som,
te distraía.
Quero que conheças o profundo do meu corpo.
Não como tu o conheces;
como eu o sinto.


Foto de Stanmarek


7 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

gosto da sensualidade com que teces os teus poemas.

beij

Peter disse...

Gostei em especial dos 3 últimos versos.

Paixão Lima disse...

Ama-se a forma e o espírito da forma...
Que pode ser uma forma corporal labiríntica.

Para o amor ser partilhado, os corpos carecem ser conhecidos,
Profundamente, arrebatadamente,
Num êxtase perene...

♫ ♪ Wilson Miguel ♫ ♪ disse...

Querida amiga,

Gostei desse poema convidativo ao amor, com entrega total. amor docemente ofertado para o amado.

Tenha um lindo dia, amiga.

Beijo de luz no seu coração.

Secreta disse...

Uma entrega sublime e total...
Será realmente possivel?
Beijito.

Lumife disse...

Cada vez aprofundas mais a sensualidade nos teus poemas.

É no silêncio da noite...

bj.

Sofá Amarelo disse...

Esta noite não é noite de fechar os olhos nem de deixar as mãos quietas, esta noite não é noite de deambular ao som dos sons, esta noite não vão haver palavras que distraiam os sentidos, porque no labirinto da Vida só há um caminho por onde os corpos podem sentir os ... sentidos!