sexta-feira, 22 de julho de 2011

SEM TI

Talvez te esqueça um dia...
Mas não sei quando...

Não o vou assinalar no calendário
e decidir que aquele é um bom dia
para te esquecer.

Não posso....

Não é fácil caminhar na tua ausência...
Despir-me do teu desejo,
ou da chuva do teu olhar.
Ou libertar-me dos teus beijos profundos,
desejados,
ilimitados...

Não,
não te vou esquecer hoje.
Nem amanhã...
Talvez nunca te esqueça.
Aprenda só a viver
sem ti...



Foto de Markus Arns

6 comentários:

Zenith disse...

Nunca é bom dia para esquecer.
Talvez, como a Kodak diz no jingle, "Para mais tarde recordar..., tum dum!"
Beijo
Gostei de ler-te

Machado de Carlos disse...

Nunca me esquecerei daqueles olhos azuis. Sei que ela voltará, mas não sei quando, mas tenho certeza absoluta que ela voltará.
Joguei sementes em forma de palavras, imagino que nascerão belas rosas para serem ofertadas no dia em que ela chegar!

Sofá Amarelo disse...

Reaprende-se a viver todas as manhãs de todos os dias em que se caminha lado a lado com a ausência de alguém... são os dias que não constam dos calendários, talvez apenas dos calendários das ilusões... mas são as ilusões que transformam a chuva miudinha em desejoooo

Liberdade. disse...

olá querida !

maravilhoso!

"Não,
não te vou esquecer hoje.
Nem amanhã...
Talvez nunca te esqueça.
Aprenda só a viver
sem ti"...
só quem já viveu saber o sentido tão sentido do sem ti!

© Piedade Araújo Sol disse...

e a prender a viver sem ... por vezes também é amar.

gostei muito do poema.

um beij

N. Barcelli disse...

Esquecer, por vezes, é morrer para o amor...
Belíssimo poema. Gostei, como s empre.
Beijo, querida amiga.