quinta-feira, 19 de março de 2009

SEM MEDO OU TABU














Fecho os olhos
Finjo que observo o tecto


Mas, discretamente, por entre os lençóis,
Espreito-te….

Devoro o teu corpo nu



E, sem medo ou tabu,
Acendo-te em mim
Em vagas de prazer….




(Foto (..) Graça Loureiro, Olhares.Com)


(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

8 comentários:

ematejoca disse...

What the Robin Told

The wind told the grasses
And the grasses told the trees.
The trees told the bushes,
And the bushes told the bees.
The bees told the robin,
And the robin sang out clear:
Wake up! Wake up! Spring is here!
~ author unknown

Beijinho primaveril para ti, Marta, da Teresa de longe.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Marta, belo poema...Espectacular....
Beijos

Nuno de Sousa disse...

Mais um poema cheio de sensualidade e sem tabus desse lado... continua pois é também um prazer te ler...
Bjs e um bom fds,
Nuno

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo, Marta, sem medo e sem tabu mesmo!
No último dos 3 dias que fico em casa, os outros 4 são dedicados ao meu bem-estar físico fora de casa, convido você a apreciar e deixar a sua opinião no meu post no Galeria.
Um abraço,
Renata
PS: Depois, dê um pulo no FEMININA, vc vai gostar!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Marta, hj faço 46 anos. Tem um bolinho no Feminina:
http://blogrenatafeminina.blogspot.com
Um beijo,
Renata

Sofá Amarelo disse...

Não há nada mais sublime que acender alguém em nós, é talvez o acto supremo da cumplicidade, da relação dos corpos e das mentes... no fundo a origem de tudo...

Patrícia disse...

Uma escrita sem tabus e muito bem descrita.

Beijinhos Marta=)
Patrícia

Fragmentos Betty Martins disse...

.______querida Marta



"sem medo ou tabu"


sempre na "linha" perfumada da sensualidade



.e





beleza____...









beijO_____ternO