quinta-feira, 5 de março de 2009

ABRASADOR











Sou fustigada pela chuva
No auge da tempestade
O vento continua furioso comigo
Sei lá porquê….




Longínquo, o cântico encantado das sereias
O meu encantamento
O infinito
O amor abrasador que fiz
Escrito para sempre no prazer da alma…




(Foto "Back (to) Black" Graça Loureiro, Olhares.Com)
(Textos protegidos pelo IGAC - Cópias proibidas)

7 comentários:

Fragmentos Betty Martins disse...

._______querida Marta



seguir as tuas palavras





um______prazer-luz


.para a alma



_________///






beijO_____ternO

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Marta:
Como sempre, vc combina a natureza fora de si com a sua própria natureza, o que resulta num lindo poema, sempre.
Querida:
Venho convidá-la a conhecer o meu novo Blog destinado à publicação de produções que falem da(s) mulher(es) ou que sejam escritas por mulheres. Aceito contribuições.
Um abraço,
Renata
http://blogrenatafeminina.blogspot.com

Nuno disse...

lindo momento... e qdo a chuva cai em ti, te faz escrever maravilhas... belo momento,
bjs e um bom fds
Nuno

pin gente disse...

uma chata deixou um desafio para ti no pin.
beijinho

Patrícia disse...

Quando se mistura o ambiente com os nossos sentimentos ou emoções qualquer texto fica genial. Foi isso mesmo que aconteceu.

Beijinhos Marta=)
Patrícia

Sofá Amarelo disse...

«Escrito para sempre no prazer da alma…»

quando se escreve algo no prazer da Alma é porque aquilo que se tem para dizer e para mostrar é sublime... espero que continues a escrever sempre e muito no... prazer da Alma!!!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Marta, querida,
Fiz no Feminina um post dedicado ao Dia Internacional da Mulher. Apareça.
Um beijo,
Renata
PS: Vou precisar de contribuições. Conto com você